Tudo o que você precisa saber sobre gastrite


Se você sofre com problemas de indigestão, náuseas, queimação, azia, vômitos, dores abdominais e consequente perda de apetite, você pode estar com gastrite, uma doença bem conhecida e popular.

A popularidade da gastrite deve-se ao fato de este ser um distúrbio bastante comum, muitas vezes se manifestando em sua forma aguda, que é quando os sintomas aparecem e desaparecem em seguida.

Isso decorre do fato de que a doença pode ser decorrente de diversos fatores, como o refluxo de sucos gástricos, inflamações e processos infecciosos. A complicação pode também se tornar crônica, o que é motivo para preocupação, não só pelos sintomas reincidentes, como também pelo risco de progressão para uma úlcera do estômago.

Se a causa for infecção causada pela bactéria Helicobacter pylori, mais uma razão para preocupação: esse microrganismo é relacionado pela medicina ao aparecimento do câncer gástrico. Portanto, é recomendado que os sintomas acima descritos não sejam tratados como coisa natural, principalmente se eles se apresentam na forma crônica. Deve-se procurar um médico.


Tratamento

O tratamento desse distúrbio gástrico depende do diagnóstico que será feito pelo médico. Em alguns casos, a primeira medida é a substituição de medicações que comprovadamente causem a irritação no estômago. Alguns analgésicos, consumidos em excesso, prejudicam a produção de uma substância que protege o revestimento interno do estômago.

Na verdade, a gastrite é produto da irritação desse revestimento interno, responsável pelos incômodos sintomas. Além disso, o paciente deve suspender o consumo de bebidas alcoólicas e outras substâncias nocivas, como refrigerantes.

Para tratar o problema, o médico pode indicar o uso de antiácidos, antibióticos, inibidores da bomba de prótons e antagonistas. Os medicamentos mais usados são a Amoxicilina, Esomeprazol Magnésio, Omeprazol, Digestil Comprimidos e Pantoprazol.

Sempre reiterando que o uso de medicação deve ser produto da avaliação médica, que inclui o conhecimento do histórico familiar, sintomas e alguns exames, que serão solicitados de acordo com o resultado da anamnese clínica. Os mais comuns são o exame de H.pylori, o raio-X e a endoscopia.

Durante a consulta, o médico procurará identificar se o problema é temporário ou crônico, no que a dieta atual está contribuindo para o seu agravamento, quais medicamentos o paciente toma atualmente e quais os sintomas que apresenta. Mudanças na alimentação possivelmente farão parte do tratamento.


Gastrite nervosa

Este distúrbio, ao contrário do quadro clássico, não causa inflamação no estômago, mas produz os mesmos sintomas , e recebe o nome de dispepsia funcional.

O tratamento da gastrite nervosa, que se manifesta de forma mais intensa em situações de estresse, também pode ser feito com mudanças na alimentação e uso de alguns medicamentos antiácidos e calmante para a mucosa, mas é preciso também tratar a questão emocional – que é, na verdade, a causa subjacente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204