Tratamento da obesidade


Você sabia que cerca de 56% da população brasileira está acima do peso? Esse levantamento feito pelo Ministério da Saúde mostra que, mesmo em um país em desenvolvimento como o Brasil, o problema da obesidade também é capaz de afetar muitas pessoas.

O excesso de peso ganhou tamanha dimensão social que a obesidade é considerada uma doença, já que pode causar diversos problemas de saúde e afetar o bem-estar do paciente. Essa doença pode gerar diversas complicações no organismo que, inclusive, podem levar o indivíduo à morte. Mas, como toda patologia, ela também possui tratamento. A seguir, você vai saber mais sobre as opções de tratamento para a obesidade.


Obesidade: uma doença

A obesidade é considerada por muitos especialistas mais do que uma condição de saúde. Ela é definida como uma doença crônica e progressiva caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, que pode levar a outras complicações e comprometer ainda mais o bem-estar do paciente.

O excesso de gordura é um fator de risco para o desenvolvimento de diversas outras doenças consideradas de alta ameaça para o ser humano, como a hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, câncer, doenças cerebrovasculares, problemas no sistema esquelético e diabetes tipo 2 (Diabetes Mellitus).

Para saber se uma pessoa está obesa, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu um parâmetro que é utilizado em praticamente todos os países: o Índice de Massa Corporal (IMC). A partir do cálculo simples, em que o peso do indivíduo (em quilos) é dividido pela altura do paciente (em metros) e elevada ao quadrado. Com isso, chega-se a um valor que, então, é comparado de acordo com os padrões estipulados pela instituição.

Se o resultado for menor do que 18,5, a pessoa está abaixo do peso (um quadro que também merece atenção). Entre 18,5 e 24,9, o peso é considerado normal. Caso o índice esteja entre 25 e 29,9, o indivíduo está acima do peso. Valores acima de 24,9 precisam de atenção extrema. O IMC entre 30 e 39,9 indica obesidade, e acima de 40 é considerada a  obesidade mórbida.


Causas e fatores

A principal causa da obesidade é a alimentação nada balanceada e em excesso. Em tese, para que uma pessoa mantenha seu peso, é necessário que ela tenha um equilíbrio entre a quantidade de calorias consumidas e as calorias gastas com as atividades diárias.

Quando o consumo de alimentos é maior do que o gasto de calorias, acompanhado de pouca movimentação e pouca atividade física, a gordura tende a se acumular. Por isso, além da alimentação ruim, o sedentarismo é outra causa importante do sobrepeso.

Existem também fatores genéticos que contribuem para o problema, já que há pessoas predispostas a engordar com mais facilidade. Além disso, indivíduos com metabolismo mais lento, com oscilações hormonais e certas condições psicológicas têm tendência a ganhar peso.


Formas de tratamento

A forma de tratamento mais eficaz para afastar a obesidade é simples:

  1. Adoção de hábitos alimentares mais saudáveis e balanceados;

  2. Prática regular de atividades físicas. Nesse caso, é importante consultar um médico antes de começar essa mudança, para que seja realizada da maneira mais adequada à sua condição de saúde;

  3. Uso de medicamentos, como controladores de apetite ou que reduzem a absorção de gordura pelo organismo, sempre com a indicação médica. Tais medicamentos podem causar dependência e efeitos colaterais intensos. Por isso, jamais faça uso deles sem acompanhamento.

Em situações consideradas graves, como obesidade mórbida, o paciente pode recorrer à cirurgia bariátrica, em que o estômago tem seu tamanho reduzido a fim de diminuir a capacidade de armazenamento de alimentos. Existem diversas técnicas para se fazer isso, sendo que o médico deve determinar a melhor para cada caso.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204