Pedra na vesícula: fatores de risco e como prevenir


Uma dor intensa que começa do lado direito do abdômen depois das refeições. Esse sintoma pode ser um indicativo de pedra na vesícula, também conhecida como cálculo biliar. O problema se caracteriza pela formação de pedras na vesícula biliar, órgão localizado na porção inferior direita do fígado, que armazena a bile, um líquido que contribui com a digestão de gordura e absorção de nutrientes.


Como se forma a pedra na vesícula

A bile é produzida pelo fígado e lançada na porção inicial do intestino, o duodeno, para facilitar o processo de digestão. Esse fluido é constituído por diversos componentes, entre eles, o colesterol, que é o responsável pela formação da maior parte dos cálculos biliares. Em geral, qualquer alteração da bile pode causar a formação da pedra.

Outro motivo possível é a chamada vesícula preguiçosa, a vesícula que não se contrai como deveria para expelir toda a bile para o intestino na digestão. Isso faz com que as partículas que a compõem se acumulem ao longo do tempo, podendo resultar na formação de uma pedra.


Fatores de risco e prevenção

Existem alguns fatores de risco para o desenvolvimento da pedra na vesícula. Em geral, tudo aquilo que possa alterar a composição da bile. Assim, portadores de diabetes, pessoas com obesidade, níveis de colesterol desequilibrados, hipertensos, fumantes e mulheres que fizeram uso de anticoncepcionais hormonais por muito tempo são mais propensos a desenvolver o cálculo biliar.

Para prevenir esse problema, é importante manter uma dieta muito rica em fibras e pobre em gorduras; controlar o consumo de açúcar e a sua taxa na corrente sanguínea; e praticar atividades físicas, que ajudam a elevar o HDL (colesterol bom) e reduzir o LDL (colesterol ruim).

Além disso, é importante saber que também existem pessoas geneticamente predispostas a desenvolver pedra na vesícula.


Sintomas

Quando os cálculos são muito pequenos, eles podem não provocar nenhum sintoma ou migrarem através do dueto cístico ( canal que liga a vesícula ao canal principal da bile ) onde pode ocasionar pancreatite , colestases . No entanto, pedras maiores não conseguem passar pelo duto que liga a vesícula ao intestino para serem eliminadas e ficam presas. Quando o órgão se contrai para expulsar a bile, ocorre uma crise de dor.

A dor é bem semelhante a uma cólica que começa do lado direito superior do abdômen, abaixo do esterno, e irradia para as costelas ou para a caixa torácica. Normalmente, começa entre 30 minutos e uma hora depois da refeição, porque é quando a vesícula vai atuar na digestão. A crise pode durar alguns minutos ou até horas, diminuindo aos poucos depois do seu ápice.


Tratamento

Se o cálculo for formado apenas por colesterol, é possível tentar um tratamento com medicamentos que possam diluí-lo. Caso contrário, a retirada da vesícula é a melhor medida. Atualmente, com a laparoscopia, é possível fazer uma operação minimamente invasiva, com apenas três a quatro pequenos furos no abdômen.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204