O que são pólipos?


Os pólipos de intestino ou de qualquer outro órgão são um conjunto de células do próprio tecido, que cresceram de forma desordenada. No caso específico dos intestinais, o tecido que sofre mutação é o da mucosa, principalmente no cólon ou no reto, e pode ou não acabar se transformando em um câncer.

A seguir, aprenda tudo a respeito desse tipo de alteração, como é diagnosticada e qual é o tratamento indicado.


Pólipos de intestino: tudo que você precisa saber para entender a doença

Na grande maioria das vezes, eles são benignos e não alteram a natureza. Isto é, não trazem riscos à vida do paciente e são rapidamente eliminados através de um procedimento bastante simples.

Porém, alguns podem acabar crescendo muito e se transformando em tumores malignos. Como fica muito difícil de prever e avaliar somente pela aparência, a retirada deles é sempre o melhor caminho e indicada para qualquer situação.

Há diferentes tipos de pólipos, geralmente diferenciados a partir do formato deles e do local onde foram encontrados. São mais comuns em pacientes com idades acima dos 50 anos, mas predisposições genéticas e alguns hábitos podem fazer com que apareçam mais precocemente.

Pode-se dizer que os intestinais são muito comuns e são a condição que mais afeta pacientes que buscam os consultórios médicos com problemas nessa região do corpo. Eles ocorrem em cerca 15% a 20% de toda a população mundial, afetando com mais frequência os homens na 3ª idade.

Além disso, aqueles que sofrem com doença de crohn ou outras inflamações no intestino, consomem álcool com frequência ou são fumantes, obesos e pessoas com dietas muito ricas em gordura saturada e pobres em fibras naturais, como frutas e legumes, também são considerados como pacientes do grupo de risco.


Tipos de pólipos intestinais

Os pólipos de intestino podem ser muitos, sendo que os mais comuns são os hiperplásicos e os adenomas. Para que possam ser identificados, precisam passar por uma biópsia.

Muitos pacientes passam anos sem saber que possuem essa alteração de intestino, já que, quando ainda os “caroços” são pequenos, não causam nenhum sintoma. Enquanto outros podem apresentar obstrução intestinal e sangue nas fezes.

A melhor forma de diagnosticar a presença do problema é por meio de um check-up médico, incluindo exames como a colonoscopia, e o tratamento indicado é sempre a cirurgia para a retirada.

Como geralmente são pequenos, eles são retirados pelo cirurgião através da própria colonoscopia, de forma muito rápida e indolor. Esse procedimento é chamado de polipectomia e não chega nem a causar sangramentos. A recuperação também se dá de forma muito tranquila e segura.

Somente em casos muito específicos, nos quais os pólipos de intestino já se encontram em um tamanho muito grande, a cirurgia é indicada. Os pacientes que passam por ela devem evitar medicamentos que facilitem a hemorragia nos dias anteriores e posteriores ao procedimento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204