Hérnia de hiato: diagnóstico e tratamento


A hérnia de hiato, ou hérnia hiatal, é um problema gástrico comum, entretanto, não é amplamente conhecido, como a hérnia umbilical, por exemplo. Vale ressaltar que boa parte das queixas nos consultórios dos gastroenterologistas e clínicos gerais tem relação com essa condição que, apesar de incômoda, pode – e deve – ser tratada.

A hérnia hiatal acontece quando uma porção do estômago invade a cavidade torácica através da abertura pela qual o esôfago liga-se ao estômago. Esse tipo hérnia é mais frequente em pessoas a partir dos 50 anos, com sobrepeso ou obesidade. Apesar da idade e do peso serem fatores reais de risco, indivíduos mais jovens e na faixa de peso saudável também podem desenvolver hérnia de hiato.

Tal hérnia é resultado do enfraquecimento do tecido muscular que envolve o hiato, uma abertura localizada no diafragma. Isso faz com que uma parte do estômago se projete para dentro do tórax e dê início ao quadro de hérnia hiatal.


Diagnóstico da hérnia de hiato

O primeiro passo para diagnosticar a hérnia de hiato é identificar os sintomas do problema para relatá-los ao médico. Em alguns casos, sobretudo quando a hérnia é pequena, ela costuma ser assintomática. Já as hérnias maiores podem gerar manifestações como desconforto abdominal, azia, vômito, irritação na garganta, fadiga, arrotos, dificuldades para engolir e, até mesmo, dores no peito.

Com base na análise dos sintomas, perfil e histórico do paciente, além de resultados de exames como endoscopia e raio-X do trato digestivo, o especialista pode descobrir se realmente o paciente tem uma hérnia de hiato ou apresenta outro problema gastrintestinal.

Como nem sempre há sintomas específicos, os exames de rotina são indispensáveis para detectar a hérnia de hiato. Quanto antes as enfermidades são diagnosticadas, maiores são as chances de recuperação.


Tratamentos para hérnia hiatal

O protocolo de tratamento da hérnia de hiato varia conforme a gravidade do caso. Um bom médico pode orientar o paciente em relação às melhores alternativas terapêuticas.

Determinadas hérnias de hiato são tratadas com medicamentos, como inibidores da bomba de prótons e antiácidos para o alívio dos sintomas. A automedicação é completamente contraindicada, pois somente o profissional pode receitar, com segurança, o tipo de fármaco, a dosagem e a duração do tratamento.

Cumpre salientar que nos casos mais graves ou que não respondam bem ao tratamento clínico, a hérnia hiatal pode demandar reparo cirúrgico.  A cirurgia geralmente é feita por laparoscopia e apresenta excelentes resultados em pouco tempo.

No pós-cirúrgico é fundamental evitar alimentos gordurosos e condimentados, não tomar bebidas gaseificadas, não fumar, não se alimentar perto da hora de dormir, comer alimentos leves, evitar grandes porções de comida e usar travesseiros altos.

Lembre-se que se a hérnia de hiato não for devidamente tratada, podem surgir complicações sérias como aspiração pulmonar, deficiência de ferro, sangramento e obstrução da hérnia.

Quer saber mais sobre a hérnia de hiato? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204