Esofagite: tipos e causas


A esofagite é um tipo de inflamação que ocorre no esôfago, causando dores, dificuldade para engolir e desconforto no peito.

Apesar de ser uma doença que pode provocar diversas reações, existem tratamentos que ajudam a reverter o quadro, trazendo mais saúde ao portador. Mas, para isso, é importante procurar um médico e identificar qual o tipo da doença.

Existem quatro manifestações da inflamação. Cada uma é ocasionada por um fator. Por isso, para que você conheça mais sobre essa doença, abaixo, vamos mostrar quais as causas e os principais fatores de riscos dela. Confira!


Quais são os sintomas da esofagite?

A doença pode manifestar diversos sintomas, tais como:

  1. refluxo;

  2. dor no peito;

  3. dor no estômago;

  4. azia e queimação;

  5. excesso de arroto;

  6. engasgos e tosse noturna;

  7. enjoo e vômitos;

  8. dor na garganta.

Contudo, cada tipo pode provocar sintomas diferentes, dependendo também do organismo do portador. Assim, o diagnóstico deve ser feito para procurar a alternativa mais segura e eficiente ao combate dessa patologia.


Tipos da inflamação

A doença pode ser classificada em quatro tipos distintos, que são:

Refluxo

No aparelho digestivo há uma estrutura que impede os ácidos do estômago de passarem para o esôfago. Quando ocorre uma inflamação, essa estrutura falha, permitindo que aconteça o refluxo. Assim, os ácidos começam a ir para o esôfago com muita frequência, causando danos no tecido.

Os principais fatores de risco do refluxo são: 

  1. obesidade;

  2. uso de tabaco;

  3. hérnias;

  4. tomate;

  5. frutas ácidas;

  6. excesso de cafeína;

  7. pimenta;

  8. temperos fortes;

  9. chocolate.


Eosinófilos

São células do sangue responsáveis por defender o organismo contra os ataques de microorganismos, ajudando a regular inflamações. Além disso, também contribuem para combater reações alérgicas. A doença surge quando os eosinófilos são produzidos em excesso na região do esôfago, em resposta à algum agente alérgico. 

Geralmente, isso acontece quando o portador tem intolerância a algum tipo de alimento, como ovos, leite, trigo, amendoim, feijão, centeio e carne bovina, por exemplo.

Neste caso, os principais fatores de risco são: 

  1. histórico familiar da doença;

  2. alergias alimentares.


Infecciosa

Causada por infecção viral, bacteriana, fúngica ou por parasitas no tecido. Ela é desenvolvida quando há baixa imunidade, como é o caso de portadores de HIV e de câncer. Outros fatores que podem contribuir para o surgimento da patologia são a diabetes e o uso de antibióticos. 


Infecção por medicamento

Não são apenas os antibióticos que podem desencadear uma inflamação no esôfago. Diversos remédios podem danificar o tecido do órgão, especialmente se tiver contato direto com o forro do esôfago por longo período. Para reduzir as chances, é importante não engolir comprimidos deitado ou com pouca água. Idosos também têm mais predisposição para a patologia, já que a parede do órgão é enfraquecida com o avanço da idade.

A esofagite pode ser controlada com ajuda médica e seguindo todas as orientações recomendadas pelo profissional da saúde. Por isso, procure um especialista caso apresente os sintomas ou fatores de risco mencionados acima.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204