Como é a anestesia na cirurgia bariátrica




Anestesia e cirurgia bariátrica: ambos os assuntos se complementam e fazem parte do imaginário e preocupação naqueles que cogitam, ou já decidiram, passar pelo procedimento de redução de estômago.

Neste artigo, falaremos não apenas sobre a cirurgia em si, mas sobre os cuidados necessários antes da intervenção, como é o caso da anestesia. Confira!


O que é a cirurgia bariátrica?

De forma simplista, é uma intervenção cirúrgica que se utiliza de um conjunto de técnicas especializadas para diminuir o estômago de pacientes com obesidade. A técnica é o último recursos para o processo de redução de peso, quando o indivíduo corre risco de saúde.

Ela é feita em pessoas  com grau considerável de obesidade, ou que estão em vias de apresentar algum problema de saúde por conta do excesso de gordura corporal.

Ela é indicada para pacientes que possuem índice de massa corporal (IMC) maior ou igual a 40, ou IMC acima de 35 e enfermidades decorrentes da obesidade, como diabetes, colesterol alto e doenças cardiovasculares.

A gastroplastia não é feita, portanto, em pessoas que precisam eliminar pequenas quantidades de gordura. Dado o fato de que é um procedimento invasivo, a cirurgia requer cuidados específicos, preparação e indicação médica.


Anestesia e cirurgia bariátrica

Antes de tudo, é feita uma consulta pré-anestésica. Alguns dias (ou semanas) antes da cirurgia, o médico responsável deve verificar os resultados recentes dos exames de seu paciente para avaliar os riscos e possíveis complicações durante, ou após o procedimento.

Neste momento, é analisado o histórico médico, problemas de saúde existentes, além de outras informações que o especialista julgar importantes. É uma consulta essencial, uma vez que permite ao paciente esclarecer dúvidas e inseguranças com relação à cirurgia.

Já na sala de cirurgia, é feita a anestesia, que é aplicada pelo anestesista, seguindo as informações dos exames pré-operatórios. Dividimos a anestesia em três fases: indução anestésica, trans-operatório e recuperação pós-anestésica. Conheça cada uma delas a seguir.


Indução anestésica

Após ser preparado para adentrar no centro cirúrgico, o paciente é conectado aos aparelhos que farão o monitoramento de seus sinais vitais durante a operação. Ele recebe, na veia da mão ou do braço, os medicamentos que o farão adormecer.

Neste  momento, é administrado oxigênio e, em seguida, feita a entubação oro-traqueal. Este tubo é responsável pelo anestesiamento do paciente durante todo o processo da cirurgia bariátrica.4


Fase trans-operatória

O paciente, que já foi previamente anestesiado, segue a receber gases anestésicos e oxigênio. Seus sinais vitais são acompanhados de perto pelo anestesista, que monitora também a quantidade de gases que devem ser oferecidos ao indivíduo.

É comum que haja administração de soro em grandes quantidades, para que a pressão arterial seja mantida e o paciente não seja colocado em risco.


Fase pós-anestésica

Após a finalização da cirurgia, recolhem-se os equipamentos que fornecem os gases anestésicos e inicia-se a fase de recuperação.

Não é possível dizer quanto tempo uma pessoa levará para acordar após a cirurgia. Sabe-se que, quanto mais severo o caso de obesidade, maior a possibilidade de que a pessoa permaneça adormecida por mais tempo.

A recuperação pode ser feita no centro cirúrgico, ou em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Essas informações serão dadas pelos médicos responsáveis pelo caso, após a finalização da cirurgia e observação do quadro do paciente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204