Cirurgia de câncer de cólon: como é feita e quando é indicada?


O câncer de cólon é o quadro clínico que consiste na existência de um ou mais tumores na porção média do intestino grosso. Grande parte desses tumores é originada a partir de pólipos, isto é, pequenas protuberâncias que se desenvolvem na parede intestinal e crescem lentamente, até ganhar características de malignidade. Como o desenvolvimento é gradual, se os pólipos forem diagnosticados precocemente, eles podem ser removidos antes mesmo de se transformarem em tumores malignos.

Caso a neoplasia no cólon não possa ser evitada e o tumor venha a se instalar, é importante ressaltar que tal condição é tratável e curável. A cirurgia é o principal tratamento para esse tipo de câncer, sendo que o procedimento cirúrgico pode ser realizado através de técnicas distintas.

Essa cirurgia remove uma parte do cólon e os gânglios linfáticos próximos, no intuito de impedir o agravamento da neoplasia e aumentar as possibilidades de cura. Quer saber como a cirurgia de câncer de cólon é feita e quando cada uma das técnicas cirúrgicas é indicada? Continue lendo o artigo e fique por dentro do assunto.

Tipos de cirurgia de câncer de cólon

Polipectomia Colonoscópica

A polipectomia colonoscópica é um procedimento indicado para cânceres de cólon em estágios iniciais (tumores no estágio 0 e alguns tumores no estágio I). Ela também é recomendada para remover pólipos durante a colonoscopia.

Quando esse procedimento é realizado, o tumor  é removido como parte do pólipo e não requer abertura no abdômen do paciente. Nessa técnica, o médico passa um loop de fio pelo colonoscópio, a fim de retirar o pólipo da parede do cólon, utilizando uma corrente elétrica.

Excisão local

A excisão local é um procedimento um pouco mais longo e complexo do que a polipectomia colonoscópica, realizado com o auxílio do colonoscópio. Tal técnica é indicada para remover tumores superficiais e retirada de uma quantidade limitada de tecido na região da parede do cólon.

Colectomia

A colectomia é uma cirurgia que pode ser realizada através de incisão maior no abdômen, ou por meio de uma técnica mais moderna, segura e minimamente invasiva, que é a laparoscopia assistida. Nessa segunda opção, são feitas pequenas incisões para remover não só a parte afetada do cólon, como também os linfonodos.

Caso o tumor seja muito grande e esteja bloqueando o cólon, pode ser necessário a utilização de stent, para manter o cólon aberto durante a cirurgia e facilitar o procedimento. Além disso, o quadro pode demandar uma colostomia, que corresponde à colocação de bolsa coletora para armazenar resíduos, até que o paciente se recupere. Depois da recuperação, uma nova operação é realizada para remover a colostomia.

A colectomia é indicada para câncer de cólon em qualquer nível de estadiamento. Nos estágios mais avançados, o tratamento cirúrgico geralmente é complementado com procedimentos terapêuticos, como a quimioterapia e a radioterapia. A partir do estágio 3, por exemplo, o tratamento quimioterápico faz parte do protocolo padrão.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em São Paulo!

#cirurgiadecâncerdecólon

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204