Câncer no estômago: causa e tratamentos


Os casos de câncer no Brasil crescem de forma perturbadora. O câncer de estômago, ou câncer gástrico, é um dos mais frequentes. Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) estimam que são diagnosticados 21.290 novos casos desse tipo de câncer por ano no país. Mas, quais são as causas da doença? E quais são os tratamentos disponíveis?

Depois do câncer de cólon e de reto, o câncer gástrico é o tumor do trato gastrintestinal mais frequente no Brasil. Idosos são mais propensos a contrair a doença, especialmente aqueles acima dos 65 anos.


Origem e tipos da doença

O câncer gástrico tem origem na camada mucosa, o revestimento interno da parede do estômago. Os sintomas são praticamente imperceptíveis no início: só 20% dos casos da doença são diagnosticados na fase inicial. Muitas vezes, os sinais são confundidos com doenças gástricas. Por isso, procurar um médico é indispensável.


Tipos de câncer de estômago

  1. Adenocarcinoma: representa quase toda a fatia de casos de tumores de estômago. É praticamente um sinônimo de câncer de estômago, ainda que não seja o único tipo.

  2. Linfoma: são tumores do sistema imunológico. Correspondem a 4% dos casos da doença.

  3. Tumor gastrointestinal: são ainda mais raros e se iniciam nas células da parede do estômago, podendo ser malignos e benignos.


Fatores de risco

Não há uma explicação concreta sobre o que causa esse tipo de câncer. No entanto, existem fatores de risco comuns que aumentam as chances de uma pessoa desenvolver a doença. Confira a seguir quais são esses fatores.

  1. Infecção por Helicobacter pylori: a infecção com a bactéria Helicobacter pylori induz a inflamação na mucosa do estômago, ainda que a presença dessa inflamação não signifique propriamente o desenvolvimento do câncer.

  2. Dieta: alimentos mal-armazenados, como os defumados, peixes salgados, carnes e vegetais em conserva, aumentam o risco dessa forma de câncer.

  3. Tabagismo: fumantes possuem 2 vezes mais chances de ter a doença em questão.

  4. Histórico familiar: quem tem parentes de 2º grau com histórico dessa forma de câncer possui maior probabilidade de desenvolver a doença.


Tratamento do câncer de estômago

As opções de tratamento do câncer de estômago variam de acordo com o estágio da doença, além da idade do paciente, do tipo de tumor, das condições de saúde, dentre outros fatores. Ademais, o tratamento é preferencialmente cirúrgico, sobretudo no começo da intervenção, podendo ser uma cirurgia endoscópica (em que há a retirada de uma parte do estômago) ou uma cirurgia radical, na qual partes do esôfago e do intestino podem ser removidos. Quando o tumor ultrapassa o músculo, é indicada a quimioterapia. A radioterapia pós-operatória, associada à quimioterapia, também pode ser uma opção.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204