Câncer de estômago: sintomas, causas e tratamentos


Também chamado de câncer gástrico, o câncer de estômago é o terceiro mais comum entre os homens e o quinto mais frequente em mulheres. De acordo com o INCA, todos os anos cerca de 20 mil novos casos de tumores gástricos são diagnosticados.

Há basicamente três tipos de câncer no estômago. São eles: o adenocarcinoma, responsável por 95% dos casos; o linfoma, que é equivalente a 3% e o leiomiossarcoma, correspondente a 2% dos diagnósticos.

Vale destacar que os adenocarcinomas são tumores malignos que afetam as células excretoras, os linfomas atingem o sistema linfático, enquanto os leiomiossarcomas podem impactar tecidos dos ossos e músculos.

Quer entender o câncer de estômago mais a fundo e descobrir quais são seus sintomas, causas e tratamentos possíveis? Leia o artigo e fique por dentro do assunto.


Sintomas do câncer de estômago

O câncer de estômago pode resultar em diversas manifestações físicas, como fadiga, sensação de inchaço, azia persistente, indigestão, dor abdominal, vômitos frequentes, náuseas, sensação de saciedade depois de comer porções pequenas, perda de peso repentina, sangue nas fezes ou fezes escurecidas e com odor muito forte.   

Esses sintomas não são exclusivos do câncer de estômago e podem sinalizar outras doenças, como úlcera ou gastrite. Por isso, é indispensável buscar o diagnóstico adequado.


Causas e fatores de risco

Os tumores no estômago podem ter relação com infecção por H. pilory. Além disso, alimentação rica em alimentos defumados, industrializados, em conserva e ricos em sal também podem ter influência no desenvolvimento do câncer gástrico.

O histórico familiar de câncer de estômago, ocorrência de inflamações gástricas de longo prazo, consumo de alimentos contaminados, dieta pobre em frutas, legumes e verduras, anemia perniciosa, tabagismo e presença de pólipos estão entre os fatores de risco da doença.


Opções de tratamento

O primeiro passo para tratar o câncer de estômago é buscar ajuda médica. Com base no relato dos sintomas, exames físicos, de imagem e laboratoriais, além da análise do perfil e histórico clínico do paciente, o profissional terá condições de diagnosticar a neoplasia ou qualquer outro problema gástrico. Normalmente os exames solicitados são a endoscopia, tomografia computadorizada, raio-X e biópsia.

A partir do diagnóstico, o tratamento poderá ser iniciado. A terapia ideal depende diretamente do estágio da doença. Geralmente, a cirurgia é a opção mais efetiva para amenizar os sintomas e aumentar as chances de cura, entretanto, sessões de radioterapia e quimioterapia também podem ajudar.

Os resultados do tratamento do câncer no estômago variam de acordo com o estadiamento da neoplasia, profundidade com a qual o tumor invade as paredes estomacais e avanço para outros tecidos e células. Quando o câncer se espalha para outras partes do corpo, as chances de cura são menores. Por isso a detecção precoce é fundamental. Quanto antes o tratamento for iniciado, melhor!

Quer saber mais sobre câncer gástrico? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204