7 fatores de risco para o câncer de cólon


O câncer de cólon é um dos tipos de câncer mais incidentes no mundo inteiro. Ele diz respeito a tumores que acometem a porção média do intestino grosso, isto é, a maior parte do órgão. É justamente nessa região do tubo digestivo que ocorre a maioria dos casos de neoplasia intestinal.

Quando detectado precocemente, o câncer de cólon é tratável e curável. As chances de cura chegam perto de 90%, quando o tumor é descoberto em estágio inicial. Por isso, é importante não apenas ficar atento aos sintomas da doença, como também aos fatores de risco, que aumentam sua propensão.

Confira, a seguir, quais são os aspectos que podem influenciar no desenvolvimento deste tipo de câncer.


Fatores de risco do câncer de cólon


1. Idade

Os riscos deste tipo de tumor maligno estão associados ao envelhecimento. As chances de desenvolvimento da doença aumentam, à medida que a idade avança. Estatísticas comprovam que esse tipo de câncer é mais comum a partir dos 50 anos de idade.


2. Obesidade

A obesidade é um dos principais fatores de risco para o surgimento de câncer de cólon. O peso excessivo aumenta significativamente as chances de neoplasia intestinal, especialmente em pessoas do sexo masculino.


3. Sedentarismo

O sedentarismo, comprovadamente, aumenta o risco de câncer. Quem adota uma vida sedentária é mais propenso à obesidade e às complicações de saúde, como a neoplasia no cólon. 


4. Alimentação

Uma dieta rica em alimentos processados e carnes vermelhas pode influenciar na qualidade da saúde do intestino. Além disso, comidas preparadas em temperatura muito elevada, como assados e frituras, podem criar substâncias que também favorecem o desenvolvimento da doença.


5. Tabagismo

O hábito de fumar não aumenta apenas o risco de câncer de pulmão. Os fumantes integram um grupo de maior risco para o desenvolvimento de câncer de cólon.


6. Alcoolismo

O alcoolismo é mais um facilitador da doença. Por isso, o ideal é evitar o consumo excessivo de álcool, ou eliminá-lo por completo. Estudos revelam que diminuir a ingestão diária da substância para, no máximo, 1 dose para as mulheres e 2 doses para os homens pode trazer inúmeros benefícios para a saúde, inclusive, a redução do risco de câncer no intestino.


7. Histórico clínico e familiar

O histórico pessoal de pólipos colorretais, especialmente pólipos volumosos e em grande quantidade, é um importante fator de risco para a doença. Quem já teve câncer no cólon ou reto, ainda que tratado cirurgicamente, pode voltar a ter novos cânceres intestinais. Caso anterior de doença inflamatória intestinal, assim como o histórico familiar da doença, tem relação com o desenvolvimento do tumor. Conhecer os fatores de risco é importante para prevenir o surgimento do câncer de cólon. O conhecimento impacta em ações e cuidados com a saúde. Por isso, não deixe de fazer exames regulares, caso você reconheça qualquer um dos fatores como sendo determinante para a manutenção da sua saúde.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204