5 Sinais de que você pode estar com pedra na vesícula


A pedra na vesícula, denominada colelitíase, é causada por componentes da bile que formam cálculos, impedindo a locomoção do líquido pelos dutos fora do órgão. A vesícula armazena a bile fabricada pelo fígado, para expelir durante a digestão de alimentos mais gordurosos, que podem causar impactos negativos no intestino delgado.

A bile tem grande composição de água, mas quando armazenada na vesícula, perde boa parte dela, o que acaba permitindo que solidifique e faça surgir pequenos cálculos. Em geral, os sais formados se dissolvem, mas quando há algum tipo de descontrole na quantidade e qualidade das substâncias da bile, formam-se as pedras na vesícula.


Para que serve a vesícula e a bile

A vesícula é um pequeno órgão localizado à direita e na parte posterior ao estômago. Com formato de um saco, ela é capaz de armazenar 50 ml de bile, substância produzida pelo fígado para auxiliar a digestão de alguns tipos de alimentos ao ser injetada no começo do intestino delgado.

A bile age como uma espécie de espuma de limpeza na digestão, permitindo melhor absorção de nutrientes e diluição de gorduras. Ela é composta por água, colesterol, bilirrubina, cálcio e outros elementos, que mantêm um equilíbrio em sua quantidade.

Alguns fatores podem favorecer o acúmulo de uma dessas substâncias e acelerar o surgimento de cálculos biliares. Dentre eles está uma dieta rica em gorduras, sódio e pobre em fibras, diabetes, obesidade, fumo, hipertensão, uso contínuo de anticoncepcionais, maior quantidade do hormônio estrogênio e genética.

Essas causas podem ajudar o acúmulo maior de uma das substâncias que formam a bile. É normal que ocorra maior absorção de água da bile pela vesícula, formando maior concentração no seu interior, mas os cálculos só surgem quando há desequilíbrio.

Essa diferenciação divide a colelitíase em três tipos:

Bilirrubinato de cálcio: é um tipo de pedra na vesícula bastante frequente, em que sais e cálcio se acumulam na bile. Quando ela perde hidratação na vesícula, esses componentes criam pedras pretas em seu interior;Colesterol: a principal causa da formação de pedras na vesícula. O colesterol cristalizado cria cálculos amarelados;Pigmentos amarronzados: são mais raros dentre os três, formando pequenas pedras amarronzadas. Constantemente se formam nos ductos biliares ou no interior da vesícula.


Como identificar pedras na vesícula

O maior problema de uma pedra na vesícula é a dificuldade de detectar seus primeiros sinais e realizar tratamento imediato. Em geral, acontece uma crise intensa, que culmina com uma cirurgia para retirada da vesícula.

A formação dos cálculos é assintomática, sendo detectada apenas por exames de imagem preventivos. Por isso, é difícil alguém se consultar e o médico diagnosticar a doença sem ter ocorrido uma crise.

O problema atinge majoritariamente a população feminina, assim como pessoas acima de 40 anos, fumantes e obesos. Antes que a situação culmine em cirurgia, é possível detectar os seguintes sinais:

1 - Dor abdominal: gradual, irradiada pelo lado direito, indo em direção a outros órgãos;

2 - Distúrbios digestivos: o processo digestivo começa a não ser realizado adequadamente, gerando vômito, enjoos inchaço abdominal e diarreia;

3 - Icterícia: torna a pele mais amarelada, causada pelo acúmulo da bilirrubina;

4 - Febre acima de 38º C;

5 - Perda de apetite.

Assim que detectados esses sinais, é preciso ir ao médico para uma investigação do problema. Quando não há dor aguda, é possível tratar com medicação.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

© 2019 - Todos os direitos reservados

CRM - SP 138204